Fatores considerados causas da gravidez de risco

Posted on

As causas da gravidez de risco são aquelas em que é possível identificar, após avaliação clínica, a presença de um fator acrescido de doença materna, fetal e/ou neonatal.

Uma gravidez pode ser considerada de risco desde o início, devido a problemas de saúde crónicos da mãe ou surgirem a qualquer momento da gestação. Nas mulheres com idade igual ou superior a 35 anos, existe maior risco de hipertensão, diabetes gestacional e ganho de peso acima do recomendado durante a gravidez. A história pessoal também permite identificar possíveis causas da gravidez de risco. Pacientes com psoríase ou artrite reumatoide em que for diagnosticada gravidez não devem receber metotrexato. Gravidez e lactação: Informe seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu término, já que pacientes grávidas não devem receber metotrexato. Além de causar problemas nas juntas, a artrite reumatoide, em alguns casos, pode afetar outros órgãos do corpo – tais como pele, olhos, pulmões e vasos sanguíneos. Parto prematuro pode ocorrer entre 32 e 36 semanas de gravidez, se surgirem sintomas de risco de vida ou se a medicação não funcionar. Doenças Reumáticas; Gravidez de Alto Risco; Escleroderma Sistêmico; Artrite Reumatoide; Fertilidade. Este medicamento pode causar aborto se for utilizado durante a gravidez.

O que pode causar dor nas costas na gravidez

  • Radiografias – Mostram alterações articulares características da artrite reumatoide.
  • Ultrassonografia e ressonância magnética – Usadas para detectar alterações no início da doença.

Uma mulher que tem o DIU inserido e está grávida deve fazer uma ecografia, pois o risco de uma gravidez ectópica é maior.

Se o fluxo intenso da hemorragia não diminuir depois de 2-3 horas, pode ser sinal de aborto incompleto (vestígios da gravidez ainda no útero), o que necessita de tratamento cirúrgico. O DIU pode ser inserido pelo médico assim que a hemorragia cessa e o teste de gravidez é negativo, ou quando a ecografia mostra um útero vazio. As descobertas complementam pesquisas anteriores mostrando que mulheres que amamentam têm risco mais baixo de câncer de seio e ovários, de diabetes tipo 2 e de artrite reumatoide. Fique a conhecer os principais fatores que contribuem para uma gravidez de risco. São vários os fatores que contribuem para uma gravidez de risco, desde a idade, a doenças prévias ou problemas que surgem no decorrer da gestação. São situações que podem acontecer antes ou durante a gravidez e na altura do parto e que colocam a gestação numa categoria de risco. Por outro lado, o excesso de peso ou obesidade da mãe no início da gravidez aumentam o risco de hipertensão, diabetes gestacional, pré-eclampsia e parto por cesariana. Tabagismo Fumar implica alterações no decurso da gravidez, pelo que as grávidas que optam por não deixar de fumar devem ser consideradas de risco. Além disso, os filhos de mulheres que fumaram durante a gravidez têm uma probabilidade mais elevada de virem a sofrer de problemas respiratórios e dificuldades de aprendizagem.

Saiba mais sobre Artrite reumatoide - Fatores de risco, Sintomas

  • Se alguma vez teve tuberculose (doença dos pulmões).

Por outro lado, a gravidez e o puerpério estão associados a mudanças cardiocirculatórias importantes, que podem agravar a situação clínica das mulheres com doença cardíaca.

A cardiopatia é a causa de morte indireta mais frequente na gravidez, ou seja, a causa de morte por doença prévia à gestação. Além disso, na maior parte das vezes, depois do nascimento do bebê a mulher também passa por uma piora da artrite, que dura cerca de 3 meses até estabilizar. Em geral, se a doença estiver bem controlada, as mulheres que sofrem de artrite reumatoide têm uma gravidez tranquila e com o mesmo risco de complicações que mulheres saudáveis. Em pacientes com Artrite Reumatóide (AR), a doença melhora durante a gravidez em 23 dos pacientes, podendo piorar no pós-parto. Segundo o diretor do Iredo, “a predileção da artrite reumatoide pelo sexo feminino sugere fortemente que fatores envolvidos na gravidez estão envolvidos nesse processo. Alguns medicamentos, normalmente, usados ​​para controlar a atividade da doença têm potencial para causar risco para o desenvolvimento do bebê e, preferencialmente, deve ser interrompido antes da gravidez. Olá, É possível o paciente com artrite reumatóide engravidar e ter uma gravidez normal, mas para isso, é muito melhor que ele esteja bem controlado. Gravidez risco C; mulheres em fase de lactação; indivíduos com alterações na retina ou no campo visual; tratamento prolongado em crianças; hipersensibilidade a qualquer componente da fórmula. Curtir Carregando… As mulheres que amamentam os seus bebés podem ter um menor risco de desenvolver artrite reumatóide numa fase posterior da vida.

Causas da gravidez de risco

  • Lúpus eritematoso sistêmico
  • Esclerodermia
  • Artrite reumatoide
  • Doenças da tireoide.

As mulheres que amamentam os seus bebés podem ter um menor risco de desenvolver artrite reumatóide numa fase posterior da vida.

“Mesmo com a doença controlada, a gravidez deve ser considerada como de risco aumentado, pelo que se faz necessário acompanhamento frequente dos médicos. O que pode levar uma gravidez a ser considerada de risco? Um histórico familiar de gravidez de risco, principalmente do lado materno, também coloca, na grande maioria dos casos, a actual gravidez numa situação mais delicada. Por exemplo, se alguém da sua família teve pré-eclampsia, existe um risco acrescido de pré-eclampsia numa futura gravidez. O consumo regular de tabaco pode também causar aborto espontâneo, gravidez ectópica, parto pré-termo, descolamento da placenta e aumento das complicações antes e após o parto. Outros problemas resultam do consumo regular de álcool e drogas, pelo que, se a grávida não abandonar tais hábitos, a gravidez deve também ser considerada de risco. A falta ou excesso de peso podem causar dificuldades durante a gravidez. Esse tipo de tratamento começa antes mesmo da gravidez, prossegue durante toda a gestação e pode se estender até depois do parto. Mesmo com o tratamento, a gravidez é de risco.

Fatores considerados causas da gravidez de risco

risco mais baixo de desenvolver artrite reumatóide numa fase posterior da vida,

Estudo revela que além de prevenir a gravidez, a pílula contracetiva pode ainda ajudar a diminuir o risco de as mulheres desenvolverem artrite reumatoide. A bem da verdade, não é raro encontrar mulheres que relatam melhor dos sintomas da artrite durante a gravidez. Contudo, cerca de 30% das gestantes portadoras de artrite reumatoide apresenta doença mais ativa ou mais severa durante a gravidez, necessitando alterações no tratamento. Além disso, alguns sintomas da gravidez, tais como náuseas e vômitos, podem interferir com a absorção dos medicamentos antirreumáticos, facilitando a ocorrência de surtos da doença. O que pode indicar atividade da artrite reumatoide durante a gravidez? Contudo, uma vez que a gravidez pode piorar a anemia típica da artrite reumatoide, é preciso manter uma boa vigilância neste sentido, com exames de sangue periódicos. Os anti-inflamatórios também podem causar problemas no bebê, incluindo má-formações cardíacas, alterações no funcionamento dos rins e aumento do risco de hemorragias. Alguns remédios como Arthrotec, Lipitor e Isotretinoina são contraindicados durante a gravidez porque tem efeitos teratogênicos que podem levar ao aborto ou causar graves alterações no bebê. A pesquisa envolveu mais de 68 mil mulheres que tentavam a gravidez, e de modo geral se percebeu que as pacientes de artrite concebem um embrião mais dificilmente.

Artrite reumatóide pode atrapalhar gravidez

Anormalidades cromossômicas: Esta é talvez a causa mais comum de um aborto antes de 20 semanas de gestação ou no primeiro trimestre da gravidez.

Com frequência, as mulheres interrompem o seu tratamento anti-TNF durante a gravidez, momento em que o controlo da doença é essencial para garantir uma melhor saúde materna e infantil. Sabe-se que, quanto mais bem controlada a artrite reumatoide, menor o risco de baixo peso do bebê ao nascer, assim como de parto prematuro. Por outro lado, a artrite reumatóide não influencia a gravidez: não há maior risco de infertilidade, abortos espontâneos ou partos prematuros. Contudo, os tratamentos administrados na artrite reumatóide podem ter um efeito na gravidez, pelo que deverá prevenir o seu reumatologista imediatamente. Você pode tomar analgésicos para aliviar essas dores como o Ibuprofeno ou diclofenac (os mais eficazes) mas também pode usar Paracetamol.