"FAN positivo, o paciente tem lupus".

Posted on

A síndrome pode ser dividida em dois tipos: primária (quando o paciente só possui essa doença) e secundária (quando o paciente apresenta outras doenças como lúpus e artrite reumatoide).

Dessa forma, ao analisar um FAN positivo, o clínico deve ter em mente o baixo poder deste teste em indicar a presença desta doença. demonstraram, em estudo prospectivo, que 58% dos pacientes com FAN positivo, que não receberam imediatamente diagnóstico de doença reumática, desenvolveram colagenoses em um período de cinco anos de seguimento. Entre estes últimos, cujos pacientes apresentavam maior prevalência de doença reumática, o valor preditivo positivo do FAN foi significativamente maior. Pacientes com, por exemplo, doença extra-articular isolada ou sintomas constitucionais não específicos, como fadiga, apresentam poucas chances de ter doença reumática associada com FAN positivo. Uma seleção mais criteriosa dos pacientes seria capaz de melhorar o valor preditivo positivo do teste. Rejane Leal Araújo A fibromialgia pode apresentar-se como um quadro isolado ou estar em associação a outras patologias reumáticas, em especial às doenças inflamatórias, como artrite reumatóide ou espondilite anquilosante. O próprio exame físico pode estar alterado, pois o paciente sente mais dor ao ser examinado, dando a impressão de que a sua doença está pior. Essa situação pode ocorrer também em pacientes com artrose e síndrome de Sjögren (doença onde há secura de mucosas, como olho seco e boca seca). Esses níveis elevados de estresse podem favorecer o surgimento de problemas clínicos, como é o caso da Doença de Crohn e das outras Doenças Inflamatórias Intestinais, associadas ao trato gastrintestinal.

Quais as manifestações reumáticas mais comuns no paciente portador do HIV?

  • Artrite Psoríaca – relaciona-se com a doença de pele chamada psoríase. Nessa doença, as articulações são muito afetadas.

A Febre Reumática é uma doença inflamatória que pode comprometer as articulações, o coração, o cérebro e a pele de crianças de 5 a 15 anos.

Outro aspecto importante no tratamento das crianças com Febre Reumática é o repouso que deverá ser individualizado para cada paciente. É importante salientar que, quanto mais precoce for o diagnóstico, maior será a probabilidade de controlar eficazmente qualquer uma das doenças reumáticas. As doenças reumáticas juvenis são consideradas patologias raras na globalidade das doenças da infância, com uma estimativa de um caso em cada mil crianças em idade escolar. Os médicos que acompanham pacientes sob imunossupressão devem estar alertas quanto à possibilidade de surgimento de doença ativa, tomando, assim, todos os cuidados para o diagnóstico precoce e tratamento. Tratamento Por se tratar de uma doença crônica e incapacitante, na maioria dos casos, há a necessidade de suporte multiprofissional, auxiliando o paciente de forma global. No caso de diarreia crónica relacionada com doenças do trato digestivo a pessoa está sujeita a medicação para controlo das fezes, antibióticos e alterações na dieta. Outro exemplo é a febre reumática, doença que acomete principalmente crianças e pode começar pelo coração e não pelas articulações. No entanto, o diagnóstico precoce e o tratamento médico apropriado pode ajudar significativamente a controlar a doença e seus sintomas do Lúpus. Como a doença de Lúpus afeta cada pessoa de forma diferente, os tratamentos são normalmente adaptados para os problemas específicos que surgem em cada pessoa.

Aumenta incidência de doenças reumáticas em crianças e adolescentes - 20Jan2016

  • Síndrome Antinflamatória Famíliar ao frio (FCAS);
  • Síndrome de Muckle-Wells (MWS)
  • Doença Inflamatória Mutissistêmica de Início Neonatal (NOMID) ou Síndrome Neurológica, cutânea e articular crônica infantil (CINCA).

RESUMO: Minha esposa durante 2 anos e 8 meses, foi paciente terminal de Lupus Eritematoso Sistêmico, Artrite Reumatoide, Síndrome de Sjogren, a chamada doença Mista do Tecido Conjuntivo.

  • Nódulos reumatóides em subcutâneo - Alterações laboratoriais, como Fator Reumatóide positivo e aumento de provas de atividade inflamatória (VHS e PCR). Contudo, no caso da artrite reumatóide, 75% dos pacientes afectados são do género feminino e ocorre mais frequentemente entre ao 25 e os 50 anos. Os pacientes deste grupo tem um prognóstico visual muito pior e, geralmente, possuem doença sistêmica grave com acometimento do sistema nervoso central. O Pilates tem se mostrado um poderoso aliado dos pacientes de doenças como osteoporose, artrose, tendinite, bursite e outras enfermidades reumáticas, cuja causa não é um trauma. As mais comuns são osteoartrite, também conhecida como artrose, fibromialgia, osteoporose, gota, tendinites e bursites, febre reumática, artrite reumatoide e outras patologias que acometem a coluna vertebral. Qualquer pessoa de qualquer idade (crianças, jovens e adultos) pode ser acometida de algum tipo de doença reumática. Se a doença for descoberta no início e tratada de maneira adequada, o paciente reumático pode levar uma vida normal e sem dores, minimizando o risco de incapacidade física. Abaixo, vamos listar alguns artigos que utilizaram a atividade física no tratamento de algumas doenças reumáticas e comprovam a sua importância na vida desses pacientes. Vamos listar aqui alguns exemplos de exercícios do Pilates que você pode utilizar com seu paciente: Os pacientes em fase aguda de doenças reumáticas devem fazer exercícios controlados.

    Doenças reumáticas em crianças e adolescentes estão a aumentarNotícias de Saúde

  • Dor nas articulações e no corpo;
  • Cansaço e fraqueza;
  • Tosse seca;
  • Alterações na pele, como urticárias, manchas roxas, feridas na pele e alterações da sensibilidade.

A doença esquelética axial apresenta-se mais comumente como dor lombar inflamatória, que ocorre em até metade dos pacientes com Artrite reativa.

As medicações modificadoras de doença reumatoide podem ser consideradas em pacientes com Artrite reativa refratária a Aines e glicocorticoides. No caso dos adultos, o peso da doença reumática é mais significativo e 56% da população adulta apresenta queixas reumáticas. Outras doenças como lúpus, Sjögren e crioglobulinemia também podem apresentar fator reumatoide positivo. Este anticorpo é mais específico para a artrite reumatoide que o Fator Reumatoide, sendo que até 95% dos pacientes com resultado positivo têm AR. Curtir Carregando… Lúpus eritematoso sistêmico (LES) é uma doença autoimune de causa ainda desconhecida que pode afetar a pele, articulações, rins, pulmões, sistema nervoso e vários outros órgãos do corpo. Nos pacientes com doença crônica já com deformidades e RX alterado não há dificuldades diagnósticas, mas provavelmente haverá no tratamento. O exame chamado FAN, sigla para fator antinuclear, é um teste habitualmente solicitado para os pacientes que estão com suspeita de uma doença autoimune. As doenças mais associadas com fator antinuclear positivo são as doenças autoimunes sistêmicas, como o lúpus e a esclerodermia (esclerose sistêmica). Nestes casos há geralmente duas possibilidades: ou o FAN é falso positivo ou o paciente pode ter uma doença autoimune que ainda não está ativa.

Fatores associados à adesão ao tratamento de crianças e adolescentes com doenças reumáticas crônicas / Factors associated with adherence to treatment in children and adolescents with chronic rheumatic diseases

A maioria dos casos relatados foi confundida por tratamento imunossupressor concomitante e/ou doença comórbida, em adição à artrite reumatoide, que pode predispor os pacientes à infecção.

A confirmação desta associação veio em 2010, em um estudo publicado na revista Environmental Health Perspectives que analisou o efeito de fatores ambientais sobre o risco de artrite reumatoide. A deficiência de vitamina D e a artrite reumatoide são conhecidos fatores de risco para as doenças cardiovasculares. O exame chamado FAN, sigla para fator antinuclear, é um teste habitualmente solicitado para os pacientes que estão com suspeita de uma doença de origem autoimune. Os fatores de risco para a artrite reativa incluem: Artrite reativa pode causar sintomas de artrite, como dor nas articulações e inflamação. Os médicos acreditam que o efeito pode ser Isso ainda maior para as pessoas com um distúrbio ou doença celíaca doença auto-imune: como a artrite reumatóide. Se você tomar medicamentos anti-inflamatório não esteroideos (AINE), para tratar sintomas de artrite reumatoide, pode eventualmente estar em risco para problemas de estômago. O risco de fratura pode aumentar ainda mais se estiver tomando prednisona, um tratamento comum para a artrite reumatoide. Mais comum em mulheres do que nos homens, a artrite reumatoide está associada a fatores genéticos e afeta 1% da população mundial. Fatores genéticos, desidratação, obesidade, anemia, diabetes, pressão alta, alterações da tireoide e dietas radicais podem fazer como que o individuo tenha uma tendência maior a desenvolver a doença.

Estudo realizado no Brasil mostra que pacientes dão bastante importância para a influência dos sentimentos na doença degenerativa

Às vezes essa confirmação é necessária, pois o Teste Elisa pode dar um falso positivo em consequência de outra doença, como artrite reumatoide e alguns tipos de câncer.

As complicações devido ao uso concomitante de antiinflamatórios não-esteróides e suplementos de potássio são mais prováveis no caso de patologias pré-existentes, tais como doenças cardíacas ou distúrbios renais. Trata-se de uma doença autoimune, inflamatória e crônica, que afeta sobretudo as pequenas articulações das mãos e dos pés, ou seja, das extremidades. Os hormônios também pode ser os responsáveis, justificando o dado de que a doença ocorre mais nas mulheres, justamente porque elas têm mais alterações hormonais ao longo da vida. Os autores do estudo recomendam que pacientes com artrite reumatoide passem por uma triagem anual para identificar fatores de risco de doenças cardiovasculares e fibrilação atrial. Os autores sugerem que a frutose também aumenta o risco de alguns tipos de câncer, lúpus, doença de Crohn, colite ulcerativa, asma, bronquite crônica e outras doenças inflamatórias. As doenças reumáticas acometem milhares  de pessoas em todo o mundo e podem levar à  debilitação crônica e à redução da qualidade de vida  de muitos pacientes Especula-se que o sedentarismo, assim como algumas drogas utilizadas no tratamento de doenças reumáticas, exerça efeitos negativos sobre a saúde dos pacientes. A Febre Reumática é uma doença grave que atinge 3 em cada 100 pacientes que apresentaram infecção de garganta tratada de forma inadequada e se caracteriza por dores nas juntas. No caso do sistema nervoso, pode levar a pessoa a ter derrames ou desenvolver problemas psiquiátricos ou psicomotores.

Principais fatores de risco para a artrite do joelho

Porém, alguns pacientes com psoríase (cerca de 30%) desenvolvem artrite inflamatória crônica que comprometem as articulações periféricas, o que demanda tratamento também com o dermatologista, além do reumatologista.

Alguns, inicialmente, até confundem a doença com micose ou vitiligo, mas, a hanseníase é séria e quando diagnosticada tarde demais pode causar muitos problemas ao paciente. Esse teste adicional é necessário porque o ELISA pode dar um resultado falso-positivo se a pessoa tiver determinadas doenças, como artrite reumatoide, doenças autoimunes e alguns tipos de câncer. Enquanto a psoríase de pele é uma doença que afeta de 1 a 2% da população mundial, a artrite psoriásica afeta apenas 5% dos pacientes com psoríase. Embora possa ocorrer em qualquer pessoa, inclusive crianças, nove entre dez pacientes são mulheres em torno dos 40 anos de idade. Neste último caso, pode causar problemas de diagnóstico, com isso provoca a doença isquêmica do coração. Se o resultado for positivo, o paciente será informado e chamado para mais um teste com uma amostra diferente. Para saber mais sobre esta doença, assista ao vídeo: Sempre associadas a pessoas mais velhas, as doenças reumáticas também podem afetar crianças e adolescentes. “Grande parte dessas doenças reumáticas é crônica, porém contamos com tratamento e controle, possibilitando ao paciente uma vida normal ou praticamente normal”. É uma doença crônica relacionada a alterações do sistema de defesa do organismo (sistema imunológico).

DOENÇAS REUMÁTICAS == FOTOS DE VARIAS DOENÇAS REUMÁTICAS

Então, uma pessoa com infecção muito recente pode ter um teste de rastreio de 4ª geração positivo e um WB negativo, pois ainda não houve tempo de aparecerem os anticorpos.

Um teste positivo deve ser sempre seguido de um teste confirmatório de outro tipo, feito por pessoa treinada. Os pacientes que usam esses medicamentos de forma crônica, devem fazer exames oftalmológicos (fundo de olho, campo visual e teste de cores) com freqüência. No caso de doenças reumáticas em crianças a ajuda é ainda maior, visto que há menor clareza na descrição dos sintomas pelos pacientes (Viitanen & Laaksonen, 1987). Pessoas com certas doenças reumáticas, tais com artrite reumatoide, lupus eritematoso sistêmico (comumente chamado lupus), ou espondilite ancilosada (artrite espinal) podem estar mais propensas a Ter Fibromialgia também. CASO CLÍNICO: A pesquisa realizada neste trabalho foi um estudo de caso de paciente portador da AR, no qual foi avaliado a funcionalidade da acupuntura no tratamento da doença. C) Artrite Psoriásica: Doença inflamatória, crônica que afeta indivíduos com doença cutânea já estabelecida ou pode anteceder as lesões cutâneas (particularmente em crianças). Alguns pacientes com Artrite Reumatóide (AR) típica contam que durante meses ou anos tiveram surtos passageiros de artrite em várias ou poucas articulações, antes da doença tornar-se crônica. Os doentes com psoriase têm risco aumentado de outras doenças : diabetes, doença inflamatória do intestino, hipertensão arterial, doenças cardíacas e depressão. O papel da terapia HAART como fator de risco para osteonecrose tem sido estudada, sendo associadas às alterações metabólicas já bem conhecidas (hiperlipemia, pancreatite, osteopenia, hiperuricemia).

Artrite de Jaccoud: artrite pós-febre reumática crônica; relato de um caso / Jaccoud’s arthritis: chronic post-rheumatic fever arthritis; report of a case

Esse exame está indicado em crianças e adolescentes com os fatores de risco descritos no item 6.

Apesar de ser mais comum a pessoa descobrir a doença reumática primeiro, é possível que o comprometimento ocular possa indicar a presença de doenças reumáticas. A doença de Raynaud pode estar associada a doenças arteriais como arteriosclerose, artrite reumatóide, eslerodermia, lupus eritematoso e outras. Os pacientes que usam de forma crônica essesmedicamentos devem fazer exames oftalmológicos com freqüência, especialmentefundo de olho, campo visual e teste de cores. É uma artrite inflamatória associada à psoríase da pele ou unhas; um teste negativo para fator reumatóide; e o antígeno HLA-B27 em alguns pacientes, especialmente quando há envolvimento da coluna. A aterosclerose precoce nos pacientes lúpicos é atualmente uma importante causa de mortalidade na doença devido a infarto agudo do miocárdio em mulheres jovens. A anemia pode ser identificada em até 80% dos pacientes com lúpus em alguma fase da doença e pode ser classificada em imune e não-imune. Devemos ainda estar atentos para as doenças cardiovasculares, atuando na profilaxia e no tratamento, visto que esses pacientes possuem maiores risco de óbito por essas causas. Os pacientes podem ter rigidez matinal e fator reumatóide positivo, o que torna difícil a diferenciação com a Artrite reumatóide. O exame de X de mãos em pacientes com LES pode apresentar osteopenia peri-articular, como ocorre na Artrite reumatóide, mas não cursa com alterações erosivas.

Artrite Reumatóide e as Doenças Reumáticas

Entretanto, os danos severos e as limitações dos pacientes podem ser evitados pela implantação precoce do tratamento específico, nas fases iniciais da doença, livrando-os das graves consequências da doença.

Infelizmente, como todo teste sorológico, um resultado negativo pode não excluir a doença, mas o clínico pode acompanhar o paciente com novos testes ao longo do tempo. A causa da AR é desconhecida, estando contudo identificados vários fatores de risco, como as infeções, a genética e alterações hormonais. As manifestações extra-articulares são mais frequentes em pacientes com doença grave e poliarticular, FR positivo e com nódulos reumatoides. Anticorpos antinucleares (ANA) – o mesmo que fator antinuclear (FAN) – estão presentes em até 50% dos pacientes com artrite reumatoide, não significando concomitância de outras doenças autoimunes. Até 30% dos pacientes com artrite reumatoide são soronegativos para FR, sendo que, na fase inicial da doença, essa cifra pode chegar a mais de 50%. O diagnóstico na fase precoce da doença, contudo, é especialmente difícil, já que alterações sorológicas e radiológicas características muitas vezes estão ausentes. Doença intersticial crônica ou nódulos pulmonares, muitas vezes assintomáticos, são mais frequentemente observados, sendo muitas vezes de difícil diagnóstico diferencial com as alterações pulmonares decorrentes da própria artrite reumatoide. Pacientes com doenças crônicas, como é o caso da artrite reumatoide, frequentemente buscam terapias alternativas, algumas vezes em detrimento do tratamento tradicional. As manifestações extra-articulares são mais frequentes em pacientes com doença grave e poliarticular, com FR positivo e com nódulos reumatoides.

Estudos revelam que cerca de 72% de portadores de HIV correm o risco de desenvolver algum tipo de doença articular ou reumática.

Em pacientes com doença crônica, exames de imagem como ultrassom, cintilografia e ressonância podem ser identificadas também alterações sugestivas de sinovite, entesite ou sacroileite (SIEPER, 2009).

Já no caso do Raynaud secundário, o risco de problemas de pele é maior, existe sempre o risco da doença que está causando o fenômeno de Raynaud. A doença é diagnosticada em pessoas de diferentes faixas etárias, mas na maioria das vezes a artrite afeta homens mais velhos e mulheres na meia-idade. Entre os fatores de risco da doença distinguir genética (sexo, problemas articulares hereditários) e adquirida ( Além do tratamento da doença reumática, todos os outros fatores de risco para DCV, como a hipertensão arterial sistêmica, diabetes, obesidade abdominal, dislipidemia, estresse, sedentarismo e tabagismo devem ser corrigidos. A causa da doença reumática ainda se mostra desconhecida, mas acredita-se que esteja envolvida com fatores genéticos, agentes infecciosos, anormalidades autoimune e alterações na permeabilidade intestinal. Será interessante ver o que os médicos podem aprender através de investigações nas alterações capilaroscópicas adicionais para o padrão especial capilar em pacientes com Doença Celíaca. A artrite reumatóide juvenil é uma doença auto-imune crônica de etiologia desconhecida caracterizada por uma sinovite erosiva, e comprometimento sistêmico. O termo Artrite Reumatóide Juvenil (ARJ) é atualmente , utilizado para designar um grupo heterogêneo de alterações do tecido conectivo de etiologia desconhecida, caracterizada pela presença de sinovite crônica. O diagnóstico diferencial da Artrite Reumatóide Juvenil pode mostrar dificuldades, especialmente porque não existe um teste diagnóstico absoluto para doença ou seus tipos de início.

Artrite reativa pós-estreptocócica ou febre reumática atípica? / Poststreptococcal reactive arthritis or atypical rheumatic fever?

Qualquer pessoa não está imune a essa doença, inclusive jovens, adolescentes e crianças.

As principais doenças reumáticas que acometem crianças são a artrite idiopática juvenil, o lúpus, a febre reumática e outras doenças inflamatórias. No Brasil, a doença reumática mais comum em jovens, adolescentes e crianças é a febre reumática. Foram estruturados dois grupos-controle, sendo um de crianças da população geral e outro daquelas com febre reumática, uma doença pediátrica crônica. Exame laboratorial Também conhecido como “teste Elisa”, o diagnóstico da doença é feito por meio da busca de anticorpos contra o HIV no sangue do paciente. Artrite reumatóide A artrite reumatóide (AR) é uma doença crônica (etiologia autoimune) que promove dor, inchaço, limitação dos movimentos (rigidez) e das funções das articulações (juntas) especialmente das mãos. Isso deve ser levado em conta, porque todos estes fatores associados à artrite psoriásica aumentam muito o risco de doenças cardiovasculares (infarto e derrame). Em geral a pessoa que apresenta colagenose indiferenciada não possui anticorpos para doenças do colágeno bem conhecidas, como lúpus, behcet, vasculite, artrite reumatoide, etc. Normalmente esses pacientes apresentam FAN positivo (em geral em taxas insignificantes) e sintomas variados como dores articulares, problemas visuais (como uveites), muitas afitas e infecção de garganta quando crianças. A doença do colágeno indiferenciada deve ser tratada (por um reumatologista) pois qualquer órgão do paciente pode sofrer danos graves, incluindo rins, fígado, coração e sistema nervoso central.

“FAN positivo, o paciente tem lupus”.